Estranho, muito estranho…

É isso que ouço para lá e para cá, depois de uma semana de protestos pelo país.

A mídia está estranha, os políticos estão estranhos e até o povo está bem estranho… Pelo menos é o que dizem por aí.

Eu realmente não queria falar de política pois, esse nunca foi o objetivo ao criar o meu blog e também porque, eu já abri meu coração contando o término do meu namoro com Brasil, lá no dia 12 de Junho quando as coisas ainda não pareciam tão estranhas como hoje, dia 21 de Junho 2013.

Mas é impossível num momento histórico como esse, não ter opinião; mesmo que no meu caso ela seja escrita com os dedos estremecidos pelo medo de falar “abobrinha” num momento em que o espaço deve ser de opiniões bem fundamentadas e que realmente vão clarear a mente de tanta gente.

Como disse, está tudo estranho e até a opinião dos considerados representantes do povo ou formadores de opinião estão bem estranhas.

E é no mundo dos estranhos que eu prefiro ser mais uma estranha e abrir um espaço para que me julguem, me critiquem ou se puder, me ensinem como deixar essa estranhesa de lado e colocar uma causa verdadeira no que muitos chamam agora de “micareta”, “oba oba sem causa”, “baderna” entre outros adjetivos que me entristecem…

Pois é, dia 12 de Junho eu reclamava da falta de mudança, da falta de lealdade e compromisso dos “apaixonados” e “paixonites” do Brasil.

Aí eu recebi a resposta bem clara do dia 17 de Junho, ao vivo, por meio de web cams, jornais nacionais e internacionais.

Tentaram me provar e juro que acreditei e ainda acredito que, os tais “apaixonados” e “paixonites” estão mesmo com a energia toda à frente de uma multidão que já chegou a mais de 1 milhão, para lutar por melhorias, para trazer um compromisso, uma lealdade entre o Brasil e seus habitantes.

Mas em meio a tudo isso, muitos políticos e suas reuniões continuaram a mostrar que a revolução está só nas ruas e que o caminho é muito longo, a escada é grande e íngreme até o topo, até a reforma.

Sim, isso já era de esperar, não é mesmo? Se uma reforma na sua casa não fica pronta em um dia, quem dirá que uma reforma no país acontecerá em uma ou duas semanas?

Só que no tempo da internet, onde a informação chega em segundos na nossa casa, a gente acha que tudo deve melhorar também assim bem rapidinho como a minha banda larga ou até mais lentinho (mas ainda rápido para o mundo globalizado) da internet da empresa NET 😉

E é aí que tudo entra num buraco e aquele sentimento de vergonha que eu tinha antes e que nessa semana comecei a pedir perdão por existir; volta de novo quando a violência sem sentido assim como as palavras sem sentido ganham força.

Nos primeiros dias eu não parava de ler, algumas vezes compartilhava nas mídias sociais algumas piadas sobre fatos políticos atuais, outras vezes notícias de jornais e no fim? Decidi recuar e voltar apenas a ler e pensar. Aliás, acabei de ler algo falando sobre isso e pois é, me deu uma pontinha de esperança que talvez muita gente está comigo nessa causa.

Como assim que causa?

Bom, tem gente defendendo a direita, tem gente defendendo a esquerda e tem gente deixando sua mensagem de ódio aos dois.

Fico triste sabia? Temos que agradecer de existir os três! Eu sou uma que não tem partido e nem por isso, meu voto não é consciente. Eu lanço o meu “concordo” em idéias e algumas vezes elas estão na direita e tantas outras na esquerda, mas antes disso eu sento, eu avalio o que me disseram antes, durante e depois das eleições e mesmo que eu erre, eu erro por uma idéia que acreditei.

Eu acho que quem está na esquerda ou na direita faz a mesma coisa certo? E olha que delícia ter a liberdade de discutir com pessoas que pensam bem diferente de você e as vezes dar o braço a torcer que a idéia do lado de lá é melhor e no fim, aplicar para TODOS uma causa para o bem. Utópico, será?

Aí eu penso em um outro ponto: enquanto a direita e a esquerda se alvejam no Brasil e alvejam as pessoas que supostamente tem um pensamento contrário, nem um nem outro entende que a indignação com a situação do país, está até mesmo naquele que nunca antes sentou para discutir sabiamente política.

O gigante que acordou não é burro, mas ignorante, sem informação suficiente e não sabe ainda como usar a força da sua voz. Nem por isso esse gigante é menos válido e cabe a quem teve acesso à informação, à quem possa botar a cara para bater numa discussão produtiva, vir à frente nesse momento e educar na rua ou em casa, o que não só esse mandato, mas tantos outros, não ensinaram.

Porque no fim intelectuais, ignorantes, direita, esquerda, centro, de quatro ou no 69; todos nós queremos um lugar com qualidade de vida, com os tais pedidos alvejados por muitos: educação, saúde, transparência na política, etc, etc.

Por favor entendam, isso não quer dizer que eu ache certo sair por aí quebrando as bandeiras de partidos na cabeça das pessoas, muito menos acho certo apedrejar a polícia, saquear, destruir o patrimônio público, mas o que mais esperar de uma parcela da população que não só viu a violência numa reportagem sensacionalista na televisão, mas VIVEU essa violência constante em suas vidas?

Isso não acontece só nos protestos do Brasil e isso todo mundo sabe. Pode até ser que existam pessoas infiltradas no meio chamando outras para fazer isso e tirar o foco do protesto, mas muitos também só são reflexo da nossa sociedade.

É por isso, que eu não acredito que mais protestos sem reflexão, sem discussão, vão fazer alguma diferença nesse momento.

É por isso, que a causa que eu estou lutando é pela reforma na nossa mentalidade!

Vamos aproveitar toda essa energia, toda essa curiosidade sobre a nossa política e vamos manter esse momento pela eternidade!

Vamos dividir o que sabemos SEM VIOLÊNCIA VERBAL com aqueles que ainda não sabem.

Vamos dar o exemplo em casa, fazendo as nossas obrigações civis, para criarmos cidadãos que usam seu voto de forma correta e suas manifestações de forma inteligente.

Vai demorar, aprenda!

Foram muitos anos sem levantar a bunda, correr agora desesperado para qualquer lado não vai levar a lugar nenhum!

É hora de refletir, nos reformarmos e em todas nossas ações daqui para frente, mostrarmos que é possível começando de casa e sendo assim, receberemos as boas consequências.

É aquela frase que brasileiro adora usar “O que você planta, você colhe!”

Serve também para suas escolhas políticas…

Certa ou errada por favor, eu peço aqui de joelhos que usem esse espaço, o meu e-mail, um telefonema, um link de fórum de discussões, QUALQUER COISA! Para discutirmos e aprendermos um com os outros como melhorar a nossa sociedade e fazer o nosso país progredir.

Sem mais…

24 de Junho de 2013 – atualização

Achei esse texto bem interessante e coloco aqui, para uma maior reflexão

http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/06/21/e-em-sao-paulo-o-facebook-e-o-twitter-foram-as-ruas-literalmente/

4 pensamentos sobre “Estranho, muito estranho…

  1. Pingback: Visão de quem está de fora. | China na minha vida

  2. ❤ adorei seu texto, Bá! Acho que todos devíamos colocar a mão na consciência e parar de defender "direita" ou "esquerda" porque, no fim, queremos que o Brasil evolua e melhore. Acho que a nossa democracia é muito recente e temos o direito de errar… E temos que escutar também o que a outra pessoa tem a dizer porque, às vezes, ela pode estar certa e nós podemos mudar de opinião. Acontece… Isso não quer dizer que nossas idéias são fracas, mas que somos flexíveis: pode ser que não havíamos pensado naquilo antes! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s