Mudar para a Alemanha da cabeça aos pés.

Como eu disse no texto passado, muita gente anda me fazendo perguntas sobre a vida na Alemanha e o caminho que percorri.

Algumas pessoas leram no meu pequenino e resumido perfil do texto publicado no Nômades Digitais, que eu larguei tudo para vir morar em Berlim e, que já trabalhei em diversas profissões desde que cheguei.

Então, hoje eu vim esclarecer as coisas e tentar ajudar quem sonha em morar na Alemanha – do jeito que posso.

Muitos blogs te passam uma lista de documentos necessários para você vir, ou dizem todas as coisas maravilhosas do país, mas quase ninguém te explica que sair da sua rotina, cultura, etc. Não é só um processo burocrático, mas também mental.

Das Leben ist kein Ponyhof  – A vida não é uma fazenda de pôneis.

1 – Que história é essa de largar tudo e mudar de vez?

Veja bem, eu precisava fazer um perfil resumido. 27 anos de vida é bem difícil de condensar em poucas linhas então, peguei os pontos principais e referentes a minha fase mais recente que é a vida de expatriada.

Com “largar tudo” eu quis dizer que larguei minha família, meu amigos, meu emprego, minha cidade que tanto amo/odeio e um monte de cacareco no meu quarto que demorei tanto tempo para empilhar nas gavetas da minha escrivaninha. 

Não que eu acordei um dia, comprei uma passagem e vim pra cá e ponto.

Foi uma decisão impulsiva de um lado e responsável de outro pois, depende de regras e preparo para as novidades boas e ruins que podem aparecer.

Se você tem o sonho e morar na Alemanha e pretende realizar, aprenda a se desapegar de tudo a sua volta. Imagine-se sem a sua rotina, sem o contato direto com aquelas pessoas que você confia e gosta de partilhar momentos da sua vida e se você acha que está preparado para isso, vá em frente!

2 – Mas como você conseguiu permanência na Alemanha?

Por mais que eu odeie histórias de amor melosas e lotadas de mimimi, foi isso que aconteceu comigo.

Pois é, eu tenho um caso de paixonite aguda por um berlinense e acabei me casando. 

O meu visto é por união familiar e o principal ponto dele é que a pessoa que mora na Alemanha precisa  assinar um termo de responsabilidade financeira por quem está vindo. Ou seja, o governo não me dá NA-DA. Minha sobrevivência depende até hoje exclusivamente do meu marido (e de mim). 

(mais para frente, vou explicar um pouco sobre os outros tipos de visto para brasileiros).  

3 – Como você conseguiu tantos empregos diferentes?

Tudo bem que eu sou uma pisciana sonhadora e “de lua”. Mas eu não estava afim de pular de profissão em profissão não.

Assim como você precisa ter a cabeça aberta para viver e conviver com outra cultura, você precisa ser flexível para viver com a sua nova realidade. 

Eu não gostava nenhum pouco dessa situação de tudo estar nas mãos do meu parceiro, mas no começo eu não sabia alemão o que dificultava arranjar um emprego. 

Minhas opções eram: ficar em casa (talento 0 para dona de casa) ou pegar a chance que aparecesse. 

Para ser uma guia no Pub Crawl é preciso conhecer os principais pontos da cidade, falar inglês e alguma outra língua e ter paciência para ser babá de bêbado. Foi assim que começou minha saga de empregos em Berlim.

Quando eu já sabia alemão, voltei a procurar na área que estudei e me deparei com o meu maior erro: não tinha pesquisado os requisitos das vagas alemãs e nem me preparado no Brasil. Percebi que não era suficientemente qualificada nos padrões alemães para um emprego decente na área de moda.

Então, comecei a comer pelas bordas. Um estágio aqui um pouco relacionado com moda, outro estágio ali com mais ênfase na área… 

Demora! Eu ainda estou esculpindo o meu perfil profissional e aqui vai um recado para a Katiuscia – 26 anos são os novos 16! hehehe. 

Você pode sim voltar a estudar ou fazer alguma outra coisa por aqui e de repente descobrir um novo talento, um novo emprego e uma nova perspectiva de vida. Basta você querer e se preparar.

Todo mundo que muda para cá, para Londres ou qualquer outro lugar sem ter um emprego certo, precisa voltar a estaca zero e construir sua vida e carreira toda de novo. 

Então, para dar certo num outro país, você precisa abandonar a visão de que com 30 terá uma vida estável. Aliás, alguém hoje em dia consegue ter uma vida estável com 30 anos?

Tem gente que vem pra cá e as coisas fluem mais rápido, consegue um emprego incrível e acha tudo um paraíso, mas essas são as excessões. A maioria teve que passar uns perrengues até se acertar e é para isso que eu estou tentando preparar quem lê esse texto.

4 – A dura e gostosa realidade.

É lógico que tem muitas, mas muitas coisas incríveis em morar fora e são elas que fazem cada segundo valer a pena. Eu me apaixonei completamente por Berlim e pelo estilo de vida daqui e não cogito em sair daqui tão cedo.

Ana e Bárbara - Berlim - Barbara Poplade Schmalz©

Mesmo com uma carreira com um longo caminho pela frente e perdendo momentos especiais das pessoas queridas que deixei no Brasil, eu não troco minha vida na Alemanha por nada.

Em todos os empregos que tive, conheci europeus e brasileiros com caminhos diferentes. Alguns tinham passaporte UE, outros visto de estudante e alguns o visto de trabalho.

E o que todos tinham em comum? A adaptação e o foco em agarrar as oportunidades como elas aparecem.

Por exemplo, conheci pessoas que só estavam aqui graças a um visto de trabalho e de repente, a empresa quebrou o contrato. 

Essas pessoas não se viam mais na possibilidade de voltar para o Brasil. Ou desistiam de tudo e iam viver na “seguridade” do seu país ou colocavam todas as suas forças em arranjar uma forma de ficar. E foi o que alguns fizeram.

O governo dá um prazo para arranjar um novo emprego e revalidar o visto de trabalho. Dá um desespero, mas essas pessoas conseguiram e não enlouqueceram no caminho (risos).

Outros tinham passaporte europeu e poderiam pedir a ajuda do governo para sobreviver enquanto, procuravam trabalho. Dá uma certa seguridade apesar das pilhas enormes de documentos e formulários. Porém, emprego na área que estudaram era praticamente impossível de achar por diversos motivos. 

A vontade de ficar era tão grande, que essas pessoas deixaram o sonho de uma carreira na área X e agarraram a oportunidade que bateu na porta. 

Alguns foram contratados, outros viraram freelancer. Todos tem uma dificuldade aqui ou ali, mas sentem-se felizes por conseguir manter o estilo de vida na cidade que conquistou seus corações.

Aqueles que resolveram entrar num curso universitário e assim prolongar o tempo vivendo na Alemanha, aumentaram as chances de no futur aparecerem novas possibilidades de emprego e, saciaram seu desejo por conhecimento. 

A maioria pinga de um lado para outro em trabalhos de um dia ou que requerem poucas horas por semana (regra do visto de estudante) e com isso, conseguem se manter aqui na base da economia.

Em todos os casos, são pessoas que conseguiram aceitar que seja num país considerado super desenvolvido ou não, há sempre pedras no caminho e vai da vontade de cada um chutar essas pedras para longe, ou mudar seus sonhos.

Então, preparem a cabeça para todas as possibilidades. Vejam, que talvez você não consiga manter o mesmo padrão de vida de agora, mas definitivamente terá uma qualidade de vida melhor. Vale a pena para você?

Berlin Mauer Park - Barbara Poplade Schmalz©

5 – O que eu preciso fazer?

Agora que você conhece um pouco mais sobre o terreno, eu posso levantar a questão burocrática.

Seria muita irresponsabilidade minha falar “você só precisa disso ou daquele documento”.

Para cada caso e em cada estado da Alemanha há uma regra.

Tem gente que dá muita sorte e só precisa mostrar a documentação básica, já outros precisam de praticamente um dossiê de suas vidas para conseguir uma permanência no país.

Por isso, vou encher vocês de links onde podem achar mais informações sobre visto e outras coisas interessantes e contar o que sei com certeza sobre cada visto.

Visto de trabalho: é preciso se candidatar a uma vaga na Alemanha e o empregador precisa provar para o governo que nenhum alemão ou residente da Alemanha preenche todos os requisitos que o candidato tem.

Todo empregador dá um auxílio na hora de preparar o visto, avisando quais documentos você vai precisar e se eles vão te ajudar a arranjar um lugar para ficar ou se é por sua conta.

Após um número certo de anos trabalhando e pagando impostos, esse visto dá a possibilidade de trocar por um visto de residência.

Visto de estudante universitário: as universidades alemãs tem muitos cursos de pequeno tempo que qualquer um pode se inscrever e claro, cursos universitários de longa duração que pedem documentos mais específicos como histórico escolar traduzido e autenticado e uma conta bloqueada com uma quantia específica para manter as suas despesas durante a estadia na Alemanha.

Visto de união familiar: esse só é possível se você casou com alguém que mora legalmente na Alemanha ou depende de alguém que mora aqui. Por exemplo, filhos. 

Se você não tem um passaporte europeu, essas são as principais possibilidades de entrar legalmente no país e daí para frente caso queira, preparar a sua “tática” para ficar.

LINKS

Informações de vistos – no lado direito dessa página do consulado, há vários arquivos em PDF com informações e modelos de requerimentos dos vistos para brasileiros.

http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/KonsularserviceNeu/KonsularserviceNeu/04ReisennachDeutschalandundVisa/Langzeitaufenthalte_20brasilianischer_20Staatsangeh_C3_B6riger__pt.html

Reconhecimento de diplomas e o mercado alemão – Existe tradução para várias línguas dentre elas, inglês e espanhol.

http://www.anerkennung-in-deutschland.de/html/en/index.php

Autenticação de diplomas e documentos

http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/KonsularserviceNeu/KonsularserviceNeu/05Beglaubigungen/0-Beglaubigungen__pt.html

Instituto Federal para Emigração e Refugiados – esse orgão do governo vai ser o seu maior amigo e inimigo ao mesmo tempo. São eles que fiscalizam sua papelada e permanência. Há várias informações, mas fora o alemão, o site só tem tradução para o inglês.

http://www.bamf.de/SiteGlobals/Forms/Sprachumschaltung/DE/Sprachumschaltung_Formular.html

Informações sobre procura por emprego, visto, mudança, adaptação e família

http://www.make-it-in-germany.com/en/

Site para procurar bolsas de estudo na Alemanha – só em alemão.

http://www.mystipendium.de

Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico – em inglês

https://www.daad.de/deutschland/en/

Informações da embaixada sobre estágios, bolsas de estudo, etc.

http://www.lissabon.diplo.de/Vertretung/lissabon/pt/06/09-DAAD/S__Stipendien.html

Para os advogados que não veem possibilidade de usar sua profissão na Alemanha, a universidade Humboldt abriu um curso de direito brasileiro.

 http://www.rewi.hu-berlin.de/ip/frs/ang/kursbras/

É claro que todo mundo procura por informações sobre os documentos e o processo todo em blogues e sites de gente que já passou pela experiência. 

Mas se tem uma coisa que eu aprendi é sempre perguntar para uma representação oficial. Primeiro porque, eles trabalham todos os dias exatamente com o assunto. Segundo porque, um e-mail da embaixada serve como prova num processo mais complicado, já as outras fontes não.

Não tenham receio de ligar para o consulado, mandar e-mail e pentelhar. Toda vez que fiz isso, fui atendida e imprimi todos os e-mails para ter como prova no dia de tirar o meu visto.

Agora a única coisa que posso dizer é boa sorte e força na peruca! hehehe

6 pensamentos sobre “Mudar para a Alemanha da cabeça aos pés.

  1. Oi, Bárbara!

    Fiquei feliz com a pequena menção que ganhei no texto hahaha
    Mas tem uma coisa que ainda me deixa dúvida: pra tentar o visto de trabalho esse trabalho tem que pagar um valor mínimo anualmente? (por exemplo, 30mil euros por ano) Ou pode ser qualquer emprego que forneça renda fixa?

    • hahahaha que bom que gostou.
      Então, para o visto de trabalho não tem renda mínima, basta ser fixa e o visto vai ter a mesma validade do contrato de trabalho. Caso o empregador queira renovar o contrato, você pode renovar o visto também sem ter que sair da Alemanha para isso.

      Abçs

      Bah

  2. Ahhh, aí sim!
    Tava achando que precisava ir ganhando muito bem já hahaha
    Agora me deu uma animação hahaha
    É possível então ir estudar e trabalhar ao mesmo tempo? (acho que depende do curso né? não sei se lá tem curso integral ou matutino ou noturno que nem é aqui)
    E pra pegar visto de estudante tem que ter aquela comprovação de dinheiro no banco pra se sustentar?

    • Na verdade vai depender da duração do curso. Não tenho certeza, mas acho que o mínimo é 6 meses. Isso você teria que confirmar… Eu só conheço gente que veio estudar alemão ou fazer algum curso universitário então, acredito que essas sejam as possibilidades.
      E sim, para pegar esse visto de estudante precisa ter um valor depositado numa conta bloqueada aqui na Alemanha. O valor quem diz é o BAMF, mas quando vc se inscreve num curso as escolas tem mais infos do que eu hehehe. Mas é mais ou menos assim: vc precisa de 350 euros para se sustentar no mês (eu to inventando esse valor) e vai ficar 6 meses aqui. Quando vc chega na Alemanha, vc pega o total 2.100 euros, abre uma conta num banco daqui que faça contas bloqueadas para estudantes e coloca o dinheiro lá. Com o comprovante de que vc tem esse valor depositado e todos os outros documentos que o BAMF pede vc dá entrada no seu processo de visto.
      Vc pode trabalhar aqui numa carga horária reduzida, mas mesmo trabalhando tem que ter esse dinheiro na conta.

  3. Hummm
    Entendi!
    To dando uma fuçada no site da embaixada alemã no Brasil e nos outros links também 😀

    Muito obrigada pelo post!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s